Oi meus amores, tudo bem? Quanto tempo, né! Vocês não imaginam a saudade que eu estava desse cantinho, mas com os últimos acontecimentos estava impossível arrumar tempo para vir aqui e escrever pra vocês. E somente hoje, 30 dias após o meu príncipe ter nascido, consegui arrumar um tempinho para escrever.

Quem me acompanha nas redes sociais (facebook e instagram), sabe que no dia 31/01 a minha vida mudou completamente, foi o dia que meu príncipe chegou. Depois de várias horas aguardando, ele decidiu vir ao mundo na madrugada do último dia de janeiro. Desde então minha vida é outra, minha rotina mudou completamente e tenho dedicado todo o meu tempo para ele, 100% do meu dia fico à disposição dele.

Bom, pretendo fazer um post contato meu Relato de Parto, com todos os detalhes do dia mais especial da minha vida e por isso hoje eu vou contar para vocês um pouquinho de como foi esse primeiro mês. Nem acredito que hoje meu gatinho está completando um mês de vida, passou tão rápido e ao mesmo tempo parece que ele esteve sempre por aqui.

Confesso que esses primeiros 30 dias não foram nada fáceis, mãe de primeira viagem sofre no inicio. Não tem como fugir, a gente vai errar mesmo e aprender muito com os nossos erros. Também tem aqueles momentos em que bate um certo medo e até desespero, mas tudo vai passando com os dias. Lembro do medo que senti no dia da saída da maternidade, daquele dia em diante eu não teria mais a ajuda das enfermeiras e pediatras de plantão, pensei que não seria capaz de cuidar do meu bebê sozinha – não totalmente sozinha, com o marido, mas tenho certeza de que ele sentiu o mesmo medo. Ambos papais de primeira viagem!

Nosso príncipe no geral é um bebê calmo, não chora quando tem cólicas – só fica resmungando e encolhe as perninhas. Por outro lado ele fica de péssimo humor quando está com fome, muitas vezes já pede comida chorando. Só que não é um choro de dor, é aquele chorinho de manha, chega a fazer biquinho, haha! E acreditem, ele sente muita fome, tem dias que mama de meia em meia hora – durante a noite o máximo que já ficou foram 2h sem mamar.

Graças a Deus, estou conseguindo amamentar e pretendo fazer um post falando apenas sobre isso. Lembram que mencionei que talvez não pudesse amamentar devido a minha cirurgia nos seios!? Estou muito feliz por ter vencido mais esse obstáculo!

O Victor, nasceu com 2785kg e 48cm – já sabíamos que ele seria pequenininho e passamos o maior sufoco nas últimas 3 semanas antes do seu nascimento, ele não queria mais crescer dentro do útero. Na sua primeira consulta com o pediatra, com 13 dias de vida, ele já havia recuperado todo o peso que perdeu na saída da maternidade e ainda ganhou mais peso, estava com 3035kg e também cresceu 2cm (isso lá no dia 13/02). Ficamos radiantes em saber que nosso bebê está crescendo e recuperando tudo o que não ganhou dentro do útero. Hoje quando olho pra ele, percebo que está gordinho e saudável e não vejo a hora de pesa-lo novamente.

Quero continuar com os diários, só que agora falando sobre a minha experiência com a maternidade. Uma experiência que em tão pouco tempo já mudou completamente minha vida, é um amor inexplicável e único. Peço desculpas por ter demorado tanto para escrever esse post, mas eu realmente estou com meu tempo comprometido e nas poucas horas que ele dorme no berço (a maioria quer dormir no meu colo – como agora, haha!), aproveito para descansar. Sei que logo as coisas vão melhorar, vamos aos poucos criando uma rotina onde eu possa conciliar a maternidade com o trabalho, sem esquecer que também preciso ser esposa.

Aproveito esse post para agradecer muito ao Léo, ele tem sido um pai excepcional e um grande companheiro. Passa muitas madrugadas acordado olhando o Vi, para eu poder descansar um pouco mais. É super atencioso e me ajuda em tudo que pode, troca as fraldas, faz dormir e ajuda no banho. Me dá a maior força na amamentação e fica conversando comigo nas mamadas da madrugada.

Claro que eu não poderia deixar de agradecer à vocês, por todas as mensagens e carinho desde que contei que estava grávida. Muito obrigada amores!!!

Comecei esse post com ele dormindo na cama e estou terminando com ele no colo. Digitar com uma mão só não é nada fácil, haha! 

Beijos…!

Ale e Vi – 1 mês!!!

 

  1. Adarita Mendes
    02/03/2015 às 23:40

    Que Deus continue abençoando grandemente a sua família, ser mãe realmente não é fácil, mas é a maior bênção que a gente pode receber…
    Parabéns pelo príncipe!!! [be]

  2. 18/03/2015 às 12:27

    Obrigada amore…