ALMOÇO PRIMEIRO DIA

Oi amores, tudo bem? Hoje venho contar para vocês um pouquinho de como foram os dois primeiros dias de Dieta Dukan, a famosa dieta da proteína. Como já imaginei, o inicio de qualquer dieta é sempre a fase mais dificil, né? Onde a maioria acaba desistindo ou não seguindo tão à risca como deveria, eu mesma já comecei e desisti de várias dietas logo no primeiro dia, haha. Mas, dessa vez foi diferente e prometi para mim mesma que não vou desistir, que vou até o final.

Os dois primeiros dias foram um pouco difíceis, senti muita falta do carboidrato. Adoro pão e arroz, alimentos que são terminantemente proibidos na dieta. Sem falar na salada que só pode ser incluída à partir da segunda fase, a Cruzeiro.

ALMOÇO SEGUNDO DIA

Outra grande dificuldade que encontrei foi em relação as receitas,  restrição de alimentos é muito grande e por isso é bem complicado elaborar receitas, pesquisei bastante e encontrei algumas receitas que inclui apenas no segundo dia. Como a da bolacha de aveia e canela feita no microondas (em breve posto a receita). Sem falar que eu comprei o básico para começar a dieta, farelo de aveia, frango, queijo minas, iogurte zero, presunto magro, leite, adoçante, Clight e água com gás. Amanhã pretendo ir ao supermercado novamente e comprar os ingredientes que faltaram, vários são usados em receitas diferente para variar o cardápio, como a gelatina zero, leite em pó desnatado e alguns aromas.

Também pesquisei algumas receitas de microondas, nessa fase da minha vida praticidade é tudo, meu bebê exige muito do meu tempo e quanto mais rápida e simples for a receita, melhor!

CAFÉ DA TARDE SEGUNDO DIA

Li alguns relatos de pessoas que disseram se sentir mal na primeira fase da dieta, sintomas como dor de cabeça, enjôo, tonturas e fraqueza. Desses sintomas o único que senti foi um pouco de fraqueza apenas no primeiro dia, que também foi o dia que inventei de fazer faxina em casa, haha! No geral tenho me sentido muito bem e estou conseguindo seguir a dieta numa boa, não sinto falta de doces e frituras. Apenas sinto vontade de comer uma fatia de pão, bolachinha salgada e arroz.

Amanhã é dia de pesar, vou me pesar no final do dia como fiz um dia antes de iniciar a dieta, quero usar as mesmas roupas e ir na mesma balança. Essa parte eu acho que é dificil pra todo mundo que faz dietas, né? A gente sente uma certa ansiedade, sem falar no medo de não ter o resultado esperado. É muito importante não criar falsas expectativas e imaginar que vai emagrecer tudo o que quer em apenas quatro dias, emagrecimento deve ser a longo prazo.

JANTAR SEGUNDO DIA

Iniciei hoje o terceiro dia de dieta e à principio está bem tranquilo, não sinto muito fome e à vontade de comer carboidrato diminuiu bastante. Quero testar novas receitas e dividir tudo com vocês.

Me acompanhem no instagram @allebittencourt, lá eu posto praticamente todas as minhas refeições… Beijos e até o próximo diário da dieta!

 

Diário da dieta: Inicio!

Oi gente, tudo bem?

Quem acompanha o blog na redes sociais, já viu por lá que ontem comecei a fazer dieta. Recebi até alguns questionamentos sobre meu período de amamentação (já esclareci aqui), e também sobre o tipo de dieta. Para falar a verdade eu já fiz várias dietas malucas e depois de algum tempo consegui emagrecer de maneira saudável, eliminei 15 kg há uns 5 anos atrás.

Quando descobri que estava grávida uma das minhas preocupações foi com a balança, acredito que todas as grávidas tenham a mesma preocupação, né? Sabia que não era permitido fazer nenhum tipo de dieta e que o apetite poderia aumentar bastante. Foi então que decidi comer o mais saudável possível e em intervalos de no máximo 2 em 2 horas, afinal, tinha um bebê que precisava crescer com saúde. Ao longo desses nove meses não notei alteração no meu apetite e engordei apenas 6kg na gestação inteira, peso que já eliminei.

Mas, então por que dieta? Deixa eu explicar… Hoje eu estou com 61kg e quando engravidei estava com 62kg, relaxei durante um tempo e engordei alguns quilos em relação ao que “eu considero” ser meu peso ideal. Vamos ser sinceras, quando falamos em peso ideal a maioria vai por aquilo que vê no espelho, se gostou do que viu, então esse é o peso ideal. Certo? E o meu peso ideal, aquele que me sinto bem e feliz, são os meus queridos 55kg… Essa é a minha meta com a dieta!

A algumas semanas uma das minhas cunhadas me falou sobre uma tal dieta da Proteína, mais conhecida como Dieta Dukan. Criada pelo francês Pierre Dukan, autor do livro “Eu não consigo emagrecer”.

Depois de muito pesquisar e ler sobre a tal dieta, resolvi testar para saber se ela é realmente eficaz. Mas, antes que vocês comecem a me julgar, quero deixar bem claro que não estou motivando nenhuma de vocês a seguirem a dieta sem antes consultar com um Médico Nutricionista. Eu estou fazendo por minha conta e risco e não recomendo, ok?

Nesse site aqui explica tudo sobre a tal dieta e confesso que ela não é nada fácil, não é mais uma daquelas dietas “milagrosas”. Inclusive achei que ela se assemelha muito a uma reeducação alimentar. De qualquer forma comecei a dieta hoje, mas pretendo consultar com um Nutri, na próxima semana. Faz muito tempo que quero ir ao Nutricionista, mas sempre adiava.

Resumidamente a dieta consiste em comer muita proteína pura, pouquíssima quantidade de carboidrato – como o farelo de aveia – nada de gordura e quase nada ou nada de sal. Beber no mínimo 2 litros de água durante o dia e cuidar a maneira que os alimentos são preparados. Na verdade alguns desses cuidados nós já deveríamos ter sem fazer dieta, né? Como beber muita água e cuidar com o sal!

Ela também é dividida em quatro fases: Fase Ataque (é essa fase que vai determinar a quantidade de peso que você vai perder e é também a fase mais dificil na minha opinião); Fase Cruzeiro (essa fase não tem quantidade de dias pré determinados, vai até você conseguir eliminar o peso desejado e é onde você pode comer um dia de proteína pura (PP) e no outro proteína com legumes (PL)); A terceira fase se chama Fase Consolidação (e como o próprio nome já diz, é a fase em que você vai consolidar o peso perdido e é tão importante quanto as outras. Ela deve durar 10 dias para cada quilo perdido, ou seja, se você perdeu 5kg então ela deve durar 50 dias – aqui tem mais detalhes sobre a fase.); Por último e não menos importante entra a Fase Estabilização (esse é o momento para estabilizar o peso que você perdeu, nessa fase você já pode voltar a sua rotina normal de alimentação – mas, com alguns cuidados – e deve reservar todas as quintas-feira para o dia da proteína).

Esse é basicamente um resumão de como a dieta funciona, mas recomendo que entrem no site para saber de todos os detalhes e informações importantes. Como eu disse lá no inicio do post, não estou motivando ninguém a seguir a mesma dieta, essa é uma escolha minha e por minha conta e risco. Quero apenas dividir com vocês minha experiência e comprovar se a dieta funciona ou não. Vou fazer o possível para registrar todas as minhas refeições e dividir com vocês, no final da semana quando pesar eu volto aqui para contar como foram esses primeiros dias de Fase Ataque – como pretendo perder 6/7kg serão de 3 à 4 dias de Fase Ataque.

Para facilitar minha vida elaborei uma sugestão de cardápio diário, como o Vi, exige muito do meu tempo não consigo ficar elaborando receitas e já ter o cardápio definido, me ajuda muito.

Então é isso amores, logo eu volto para compartilhar com vocês os meus avanços com a dieta… Beijos!

 

 

 

Deixa eu confessar uma coisa para vocês, eu sempre pensei que essa coisa de “desejo” das grávidas era um pouco de exagero, mais uma frescurinha e aquela necessidade em ser mimada, afinal, quem não gosta de ser paparicada? Mesmo assim eu sempre converso com meu filho e peço para que ele não faça a mamãe ter desejo por coisas estranhas, haha! Já fiquei sabendo de cada coisa, que tenho arrepios só de pensar.

De uma maneira geral, minha gestação está sendo super tranquila – e só tenho à agradecer por isso – não enjoei muitas coisas e também não sinto vontade de comer coisas estranhas ou comer demais, mas se tem algo que me deixa salivando só de pensar, é a bendita da Melancia. Claro que para poder escrever esse post estou comendo um pedaço nesse exato momento, haha!

Sempre gostei da fruta e confesso que está no top das minhas preferidas, só que de uns tempos pra cá a vontade e o “desejo” por melancia aumentou em 99%. Já cheguei a devorar 1/4 de uma melancia grande em uma tarde e olha que 1/4 de uma melancia grande é bastante coisa. Além do sabor delicioso a sensação que sinto quando estou comendo melancia, é totalmente diferente de tudo que já senti, estranho falar assim, mas tenho certeza que as mamães de plantão vão me entender.

Outro fato curioso é que quando minha mãe estava grávida de mim, ela sentia o mesmo desejo, ou seja, aquela vontade louca por melancia. Será que isso tem alguma relação com o que sinto hoje, ou é apenas coincidência? Vai saber, né!

Além de contar para vocês o meu desejo por melancia, também gostaria de compartilhar 5 benefícios da fruta para a saúde. Assim que comecei nessa “loucura” tratei logo de pesquisar quais os benefícios que a fruta agrega para o meu bebê e para mim.

1- Combate a anemia: Anemia é algo que me preocupa demais na gestação, pois sei que ela vai afetar principalmente a saúde do meu bebê e saber que a melancia é uma grande aliada no combate a anemia, só me faz amar a fruta ainda mais. A anemia ocorre por falta de ferro e a melancia é uma excelente fonte de ferro, mineral que ajuda os glóbulos vermelhos a transportarem oxigênio para todas as células do corpo.

2- Elimina o inchaço: Gravidez é repleta de coisas maravilhosas, mas também tem seu lado “chato” (falo chato, pq dizer ruim é uma palavra muito forte), e um deles é o inchaço, geralmente lá no final da gestação. Já vi várias conhecidas reclamando do inchado pelo corpo, principalmente nas pernas e nos pés. A melancia é composta por 90% de água, uma ótima fonte de hidratação diária, estimula os rins a trabalharem melhor e é rica em potássio, mineral que trabalha juntamente com o sódio e o cloro  no equilíbrio hídrico do corpo – ou seja, elimina água em excesso.

3- Vitamina C: Lá no início da gravidez e alguns meses antes, é fundamental que o organismo da mulher esteja rico em Ácido Fólico, muito importante na formação do feto. Já no segundo trimestre (que se inicia na semana 14), nosso corpo precisa de várias substâncias, minerais e vitaminas, entre elas a vitamina C. E algo que até pouco tempo eu não sabia, é que a melancia  também é fonte de vitamina C.

4- Aumenta a líbido: Vocês consomem aquela parte branca da melancia? Eu como junto com a vermelhinha, só uma pequena parte e não sabia até o momento que essa parte é rica em Citrulina. Nossas enzimas convertem esse aminoácido em arginina, que atuam na formação de óxido nítrico e esse tal óxido, relaxa os vasos sanguíneos e estimula a vascularização do corpo inteiro, incluindo os órgãos sexuais. Dalhe melancia, haha!

5- Fornece energia: Tá aí uma coisa que eu deveria saber desde o primeiro dia de gravidez, já que nos 3 primeiros meses eu mal conseguia levantar da cama. Falando assim parece exagero, mas é verdade gente. Eu sentia um cansaço fora do comum, sem falar nos enjoos, etc… Fico feliz que essa fase tenha passado e hoje tenho muito mais energia, talvez por tanto comer melancia, haha! A fruta é rica em vitamina do complexo B, principalmente a B5 – ácido pantotênico, ela atua na conversão dos carboidratos, proteínas e gorduras, em combustível para nosso organismo. É muita energia!

 

Sou apaixonada pela fruta e saber que ela é fonte de tantos benefícios para a minha saúde e principalmente para o meu bebê, só me fez gostar ainda mais. Fazia tempo que não conversávamos sobre saúde e afins aqui no blog, espero que tenham gostado desse tipo de post.

 

 

Qual a fruta preferida de vocês?

 

 

SE INSCREVA NO MEU CANAL