O GP do Bahrein de 2020 começou com muita expectativa. As equipes e os pilotos estavam ávidos por uma competição emocionante, mas tudo mudou no terceiro turno de treinos. Romain Grosjean, um dos veteranos da Fórmula 1, sofreu um acidente catastrófico que deixou todos horrorizados.

A 230 km/h, Grosjean perdeu o controle do carro na curva 3 e bateu em uma barreira de metal. A velocidade do impacto foi tão grande que o carro se partiu em dois e começou a pegar fogo. Enquanto isso, Grosjean permaneceu preso dentro do cockpit em chamas.

Os fiscais de pista e os bombeiros agiram rapidamente, apagando as chamas em segundos e retirando Grosjean do carro destroçado. Graças aos avanços na proteção do piloto, Grosjean conseguiu sair ileso do acidente, embora tenha sofrido queimaduras leves nas mãos e nos tornozelos.

O acidente de Grosjean foi tão sério que a corrida foi interrompida por mais de uma hora enquanto a pista era reparada. Durante esse tempo, muitos dos outros pilotos expressaram sua preocupação com a segurança na pista.

Ainda temos muito trabalho a fazer em termos de segurança, disse Lewis Hamilton, sete vezes campeão mundial. É assustador ver algo assim acontecer diante de nossos olhos.

Após o acidente de Grosjean, a Fórmula 1 anunciou várias mudanças em suas políticas de segurança. Primeiro, a barreira de metal que Grosjean bateu foi substituída por uma barreira de concreto mais forte. Em segundo lugar, os carros agora terão um novo dispositivo de cortina de fogo que impedirá as chamas de atingir o piloto.

Assim, o GP do Bahrein de 2020 foi um divisor de águas para a segurança na pista. Graças ao rápido trabalho dos fiscais de pista e dos bombeiros, Grosjean saiu ileso de um acidente que poderia ter sido fatal. E, graças às mudanças que a Fórmula 1 está fazendo em resposta a esse incidente, os pilotos poderão competir com mais segurança no futuro.