O ano de 1920 ficou marcado na história da economia mundial como um dos períodos mais conturbados da história. A década que iniciou com a Primeira Guerra Mundial terminou com uma crise econômica que afetou diversos setores da economia global.

A Crise Econômica de 1920 pode ser explicada por diversos fatores, mas o que agravou a situação foi a inflação que se instalou em diversos países após o fim da guerra. Na tentativa de financiar seus gastos de guerra, muitos países emitiram uma grande quantidade de moeda, o que desvalorizou suas respectivas moedas e aumentou os preços dos produtos.

Além disso, a queda do Mercado de Ações, conhecida como The Crash 1920, também contribuiu para a crise. Nos Estados Unidos, as ações das empresas tiveram uma forte desvalorização, gerando um grande impacto na economia do país e no mercado global.

Com a crise instalada, diversos países tiveram que adotar medidas para tentar contornar a situação. Algumas nações, como a Alemanha, optaram por imprimir moeda para financiar suas dívidas, fato que aumentou ainda mais a inflação.

Outros países optaram por medidas mais drásticas, como a criação de barreiras alfandegárias para proteger seu mercado interno e a tríade de empréstimos, que consistia em conceder empréstimos bilaterais entre países europeus para tentar ajudar a reconstruir suas economias.

No entanto, mesmo com as medidas adotadas, a economia mundial só se recuperaria após a Grande Depressão, que se iniciou em 1929 nos Estados Unidos e se propagou pelo mundo inteiro.

Em resumo, o ano de 1920 foi marcado por uma crise econômica que afetou diversos setores da economia global. A inflação, a queda do mercado de ações e outras causas contribuíram para o agravamento da situação, fazendo com que diversos países adotassem medidas para tentar contornar o problema. No entanto, somente com o passar do tempo a economia mundial se recuperaria completamente desta crise.